Como o Big Data impulsionou o sucesso da Netflix.

Colecionando sucessos de produções próprias, o canal usa big data para analisar os temas mais populares para seu público.

Em um tempo em que a internet ganha cada vez mais espaço com os streamings, o maior sucesso desse setor é inegavelmente a Netflix. A provedora, em poucos anos conseguiu um sucesso global, e caindo cada vez mais no gosto das pessoas. Já até podemos dizer, que o sucesso da empresa é tão grande, que chega a bater de frente com os tradicionais estúdios de cinema.

O início do sucesso.

A alguns anos, a empresa tinha uma parceria com um canal a cabo americano, Starz. Em que aproveitava o catálogo de filmes do canal, e exibia para seus assinantes. Porém, em 2012 a parceria não foi renovada, e os concorrentes da empresa continuavam com parceiros em grandes estúdios de cinema. Devido a essa situação, a Netflix se viu com somente uma solução, a produção de seu próprio conteúdo. Realizando um novo modo de relação com o uso do big data e da criatividade, a empresa usou os dados para poder orientar suas produções próprias. Um ano antes do fim da parceria, a Netflix já investia 100 milhões de dólares na produção da série “House of Cards”.

Mas por que a empresa investiu tanto em uma produção de duas temporadas da série? E sem saber como seria a aceitação do público. Na verdade, a Netflix já sabia da popularidade da série e que sua aceitação seria boa. Não somente com a série britânica se aplica o sucesso dos dados com as produções da empresa. A série “Orange is the New Black” também foi analisada para produção. Sabia-se que seria outro sucesso da provedora, através da análise de dados já se sabia que o público gostava de humor com personagens femininas.

Nesses casos, a Netflix realizou uma análise em seu mercado inteiro, para entender qual atração teria uma melhor repercussão. Dentro da sua plataforma, e empresa analisou todas as ações possíveis de seus assinantes. Analisando cliques, pausas, tempo de retenção em filmes, aceleração de frames, etc.

Em um outro exemplo temos a série “Stranger Things”. Série que possue várias referências de filmes e programas de tv da década de 80. Ao analisar as visualizações de atrações em sua plataforma, a Netflix teve a certeza que uma série que misturasse itens de clássicos do cinema, obteria sucesso. O sucesso da produção, ficou provado no marketing para promover a segunda temporada da série, no intervalo do Super Bowl. Como mais de 11 milhões de pessoas estavam assistindo ao jogo, foi exibido o trailer da nova temporada. Na semana seguinte os sites especializados e a imprensa estavam tomados por esse assunto.

O crescimento da Netflix desde sua criação.

 

Com a organização fazendo uso do processo, é possível entender melhor as tendências e preferências dos assinantes. Tornando os dados mais relevantes, e as análises mais importantes ainda, nas ações a serem realizadas. O sucesso das produções próprias, está diretamente ligado ao uso do big data pela empresa.

Analisando as preferencias e desejos do público, com as produções da empresa, o uso do big data é mais que apenas um serviço. Mas também como uma ferramenta interessante da Netflix. Onde se tem o objetivo em entender o que seu público realmente quer.

 

Fonte:

https://www.canaltech.com.br/big-data/netflix-a-uniao-do-big-data-e-da-criatividade-101536/

http://www.revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2016/03/como-netflix-sabia-que-house-cards-seria-um-sucesso-antes-de-lancar-serie.html

About Andoni Campos

Analista de projetos na NGR Solutions.